Clima favorável deve garantir safrinha 15% maior no Estado

Os agricultores de Mato Grosso do Sul encerram até o final desta semana o plantio de 1,98 milhão de hectares de milho de 2ª safra. A expectativa para o atual ciclo é que haja um crescimento de quase 15% na produção, passando de 7,8 milhões para 9 milhões de toneladas.

As informações divulgadas pela Associação de Produtores de Soja (Aprosoja/MS) destacam ainda que a antecipação no plantio do cereal impactará positivamente no enchimento das espigas, caso o clima se mantenha estável.

O diretor executivo da entidade, Frederico Azevedo, lembra que os empresários do setor estão acostumados a lidar com as oscilações climáticas, por isso é preciso encontrar o equilíbrio na hora de comercializar o produto.

"É importante observar qual a melhor estratégia para o momento. Ano passado, por exemplo, em razão da boa performance das lavouras, os preços acabaram caindo. Então é neste momento que o agricultor deve recuperar os c

Azevedo observa ainda que os agricultores que anteciparam o plantio anteriormente ao dia 10 de março estão otimistas até o momento. "Temos acompanhado lavouras com excelente desempenho em diversas regiões do Estado. Então tudo caminha para que consigamos os números produtivos  e a produtividade de 78 sacas colhidas por hectare", acrescenta.

Segundo o Ministério da Agricultura (Mapa) a estimativa é que o milho tenha um Valor Bruto de Produção de R$ 4,5 bilhões neste ano, diante de R$ 3,6 bilhões em 2018, volume 25% maior no VBP.

SOJA 2018/2019

Levantamento feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa),  na semana passada, divulgou uma prévia do relatório da safra 2018/2019 de soja, apontando que em Mato Grosso do Sul os sojicultores teriam menos R$ 1,8  bilhão no Valor Bruto da Produção (VBP).

Contudo, as informações monitoradas pelo Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga MS) confirmam índices menos pessimistas. A produtividade prevista no início do ciclo 2018/2019 teve redução de 14,4% e segundo o ritmo da colheita os trabalhos devem ser encerrados até dia 10 de abril, mantendo uma produtividade de 50,5 sacas por hectare.

Segundo o diretor da Aprosoja/MS, apesar do resultado negativo, o agricultor prevê a cada plantio uma margem de perdas previstas em decorrência de fatores climáticos. "Ninguém se acostuma com prejuízo, mas pensamos em todas as possibilidades, visto que a produção se desenvolve a céu aberto", conclui.