Governo diz que nem todos comissionados demitidos voltarão

Após a exoneração de 1.900 funcionários com cargos comissionados no início deste mês, apenas 1.425 devem voltar à ativa no governo de Mato Grosso do Sul. O enxugamento na folha de servidores deve ser em torno de 25% e isso resulta em não recontratar 475 funcionários, além disso criar PDV - conforme divulgado com exclusividade pelo Correio do Estado na edição do dia 4 deste mês.

A informação foi dada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em entrevista ao jornal Bom Dia MS. Após ter tomado posse para o segundo mandato, um dos primeiros atos de Azambuja foi publicar a dispensa de todos os funcionários comissionados, que totalizou 1.900 servidores. As gratificações chegam a 35% em comissionados ocupantes dos símbolos Direção de Chefia e de Assessoramento (DCA) DCA-2 e DCA-3.

Na época da publicação da exoneração, ele disse ser normal a dispensa e ela foi necessária para os secretários analisarem quantos funcionários realmente são precisos em cada setor. Azambuja deu prazo de dez dias para a realocação dos servidores em cargos de comissão. Durante a entrevista, o governador alegou estar trabalhando para diminuir 25% dos cargos comissionados. "Nós vamos trabalhar agora para diminuir 25%. A meta nossa do início de governo é encolher em 20% os cargos em comissão", declarou.